A primeira noite do Bebê sozinho

Qual mãe e pai que nunca quer que chegue a noite do bebê dormir sozinho?

 

Pois este é um sentimento comum, mas que na prática, só piora as coisas,

isso por que o casal vai adiando cada vez mais essa noite e o pior inimigo

nesse cenário é a acomodação!

 

O casal fica acomodado e não quer ter que fazer um esforço a mais para que a transição seja completa

e quem sofre depois é o bebê e também o casal.

Pode ter certeza que num futuro breve, quando a transição tiver que ocorrer

será muito mais complicada, além da possibilidade da criação de  problemas emocionais no bebê

e da possível piora do relacionamento conjugal, já que a

privacidade e intimidade do casal pode estar seriamente prejudicada.

 

Portanto, pai e mãe, A ACOMODAÇÃO NO INÍCIO NÃO VALE A PENA,

POR QUE DEPOIS SERÁ MAIS DIFÍCIL EDUCAR O BEBÊ PARA DORMIR SOZINHO!

 

VOCÊ QUER QUE SEU BEBÊ SEJA SAUDÁVEL EMOCIONALMENTE ENTÃO SIGA A ORIENTAÇÃO

DA GRANDE MAIORIA DOS PROFISSIONAIS E TAMBÉM DA SOCIEDADE AMERICANA E BRASILEIRA DE PEDIATRIA!

BEBÊ NO QUARTO DELE

 

Todas as mamães acabam escolhendo a cama ou quarto compartilhado por questões de acomodação!

Até aí tudo bem, o problema se inicia quando a transição do bebê para o quarto separado é adiada, um prazo

ideal para o bebê continuar no quarto dos pais (em um berço por favor) seria de 6 meses, no máximo 1 ano!

 

Quando se passa de 1 ano e o bebê continua no quarto dos pais (ou pior na mesma cama), instala-se, na grande

maioria das vezes, problemas emocionais no bebê, na mãe e também no pai.

 

  • A dinâmica da família fica afetada
  • Os papeis mãe/pai/filho não são bem estabelecidos
  • Há a possibilidade de um distanciamento do casa
  • Uma relação doentia mãe/bebê pode se iniciar

 

Diante desse cenário provavelmente precisará de um acompanhamento psicológico, que

costuma ser mais caro do que a família brasileira padrão consegue pagar.

 

Mamãe e papai tomem atitudes dignas, e garantam a saúde emocional familiar!

 

Um grande beijo!