A educação do bebê/criança

A educação é modelada pelo bebê!

O bebê irá modelar comportamentos, sentimentos, comunicação e ação.

Portanto, se possível não deixe-o passar muito tempo com pessoas negativas.

Todo ser humano se desenvolve baseado nos seres humanos que estão ao seu entorno,

e com base nisso tira suas conclusões e forma seu jeito se der, personalidade, crenças etc.

 

A repetição de situações estressantes, de comunicação negativa é um veneno para as crianças,

por isso não seja um ser humano assim, por mais que assim você foi ensinado.

MUDE!

 

A comunicação Pais e Filhos

 

A criança não funciona como o adulto, portanto a comunicação dirigida a ela precisa

levar isso em conta, deve ser clara, firme e transmitir um sentimento positivo ou neutro, mas

nunca negativo.

O cérebro humano não funciona com a negação, menos ainda o de uma criança com poucos anos.

 

Aqui a prova:

Se eu dizer a você: “NÃO PENSE EM UMA FLORESTA CHEIA DE PINHEIROS”

Para não pensar nela, você primeiro teve de pensar! E aí está a confusão!

 

Quando você repete todo dia ao seu filho “não grite”, “não pegue isso”, “não corra pra rua”,

ele tem mais chances de fazer exatamente o que você não quer que ele faça.

 

Os pais precisam aprender a ser firmes e claros em seus comandos e evitar a repetição da negação “NÃO”.

Quando se diz a uma criança todos os dias “não faz assim”, “não grita aqui”, “não vai pra rua”.

Ao invés de repetir esses comandos confusos, inverta a negação para um comando positivo.

Ao invés de falar “não grita aqui” diga vamos fazer silêncio e dê uma folha com caneta para

o seu filho desenhar algo. Assim você distrai ele e evita a repetição da negação.

 

Não faça cobranças desmedidas, elas não dão um comando claro!

Apenas demonstram um sentimento confuso seu em relação ao filho.

Por exemplo: “Por que seu quarto ainda não está organizado?”

Esta é uma pergunta clássica, que apenas transmite um sentimento negativo, de insatisfação.

EVITE-A!

 

Você costuma elogiar seu filho(a) e validá-lo?

Saiba que esse costume é o que pode tornar seu filho autoconfiante, com auto estima

que fará dele alguém saudável e um profissional espetacular.

 

Elogie seu filho quando caber elogiá-lo e quando tiver de corrigir não abuse da sua autoridade,

mas demonstre com exemplo como tal coisa deve ser feita.

 

A qualidade da educação domiciliar fundamental,

é a que mais pesa na vida de um ser humano.

 

E a comunicação não-verbal?

Será que ela existe em sua família?

Como fazer para saber se sim ou não e qual a qualidade?

 

Responda essa pergunta:

Você costuma passar o tempo com seu filho apenas nos momentos de rotina diária?

Se sim é um indício de que há mais distanciamento do que o contrário.

 

A falta de toque, contato físico, olhar sincero na infância estraga toda a possibilidade de

uma vida futura de qualidade, conquistas e realização para essa criança.

 

E a qualidade do relacionamento conjugal?

O seu filho poderá guardar muita mágoa sua pai/mãe caso o seu relacionamento

seja apenas uma “fachada”.

A qualidade de vida dessa criança depende desse relacionamento num primeiro momento.

Até cerca dos 6 anos, os pais ainda comandam 100% da vida da criança, e essa criança é 100% influenciada

pelos pais, portanto, se há algo de errado com essa criança, provavelmente a origem são os pais.

 

Vocês passam momentos de brincadeiras, de distrações em família?

 

Vocês dois demonstram afeto, amor e carinho um pelo outro?

 

Saiba que cada detalhe de relacionamento dentro da sua casa constrói a vida o seu filho,

seja um detalhe bom ou ruim.

 

Pais precisam, urgentemente, de instrução de qualidade!