10 Dicas para seu bebê dormir melhor

Dicas para o bebê dormir melhor

Essas dicas para o bebê dormir melhor são indicadas por muitos profissionais e pelas sociedades brasileira

e americana de pediatria, pratique elas ao pé da letra, sem medo!

  • Luz apagada desde o primeiro dia que o bebê chega em casa! Pelo simples fato de adaptação. O seu bebê irá criar rituais e adormecimento, e se ele aprender a dormir com a luz apagada será mais fácil e principalmente por que a luz apagada contribui com a melatonina, oferecendo um sono de mais qualidade.

 

  • Antes de colocar seu bebê para dormir, tenha a certeza de que ele já está bem alimentado, senão não vai ter o que fazer, ele vai chorar e você vai ter que alimentá-lo a noite.

 

  • Após o seu bebê ir dormir tenta manter a casa em silêncio.

 

  • Não faça brincadeiras que envolvam muito movimento uma hora antes de dormir e também não estimule através da televisão. O correto seria brincar (desde que não tenha muito movimento) ou contar historias, ficar juntinho com ele.

 

  • Horários fixos para dormir, rotina ajuda o bebê a se adaptar, organizar e não ficar estressado.

 

NÃO PRATIQUE A CAMA COMPARTILHADA!

 

  • Evite viajar com o seu bebê nos 4 primeiros meses de vida. A mudança de horário e viagens prejudicam a adaptação do bebê e pode causar estresse.

 

  • Verifique a temperatura ambiente e vista o seu bebê de acordo com isso.

 

 

  • Certifique-se de que o seu bebê está bem higienizado antes de colocá-lo para dormir, caso contrário ele irá acordar.

 

  • Caso o seu bebê não esteja conseguindo dormir e chorando muito, vale a pena procurar uma ajuda profissional e também verificar como é o dia a dia do bebê, muitas vezes ele chora muito de noite por que durante o dia está passando por muito estresse, portanto investigue cada momento do seu bebê e faça mudanças.

 

  • Jamais acostume o seu bebê a ser embalado antes de dormir, pois trocar esse ritual será difícil, o correto é, a partir do 6 meses, já colocá-lo para dormir em um quarto separado dos pais, e ir até o quarto dele, fazer carinho e esperá-lo dormir, depois retornar ao seu quarto. Isso contribui para o desenvolvimento emocional do bebe e para a privacidade do relacionamento conjugal.

 

Essas dicas possuem fontes de profissionais com mais de 20 anos de experiência e estão de acordo com as indicações da Sociedade Brasileira de Pediatria

A amamentação

A primeira regra sobre a amamentação: o seio jamais deve ser retirado de um dia para o outro,

mas sim de forma gradual!

Antes dos 8 meses de vida, já se pode pensar na retirada do seio, sempre de forma gradual,

aplicando a diminuição das mamadas com o passar do tempo.

A retirada do seio de um dia para o outro gera consequências gravíssimas, perturba a psique do bebê,

podendo causar traumas emocionais, agressividade e ansiedade.

A amamentação deve ser um momento prazeroso tanto para o bebê, quanto para a mãe, se

um dos dois se sentirem desconfortáveis ao longo do tempo de amamentação, é hora

de visitar um profissional e investigar.

 

O bebê nasce sem saber dormir, ou seja, ele irá criar rituais de adormecimento.

Nos 4 primeiros meses e perfeitamente normal que o bebê durma e acorde de dia, e faça o mesmo

a noite, afinal ele possui um ciclo de sono ultradiano diferente do ciclo de sono dos adultos.

 

Esse criar rituais de adormecimento que é delicado, a mãe deve saber como proceder, ou seja,

ela deve dominar quais as melhores formas (indicadas por profissionais) de ajudar o bebê

a passar por essa fase. E combinar esse conhecimento com o seu conhecimento de mãe,

que domina o funcionamento do seu bebê.

Afinal cada bebê, irá “funcionar” de uma forma única, e o que serve bem para um, não necessariamente

irá funcionar para outro.

 

A chupeta

A chupeta é necessária ao bebê, tanto a ciência como profissionais comprovam que ela serve

como um objeto transicional e tranquilizador para o bebê.

Porém ela será prejudicial se for usada de forma errada, o que pode acontecer

dependendo das atitudes da mãe, daí a necessidade de ser bem informada.

 

Todo o lidar com o bebê precisa ser amoroso, ou seja, não se deve, jamais,

retirar o chupeta do bebê de forma grosseira, ou não oferecê-la quando perceber que

o bebê sente a necessidade dela.

Da mesma forma que o seio, a chupeta também não pode ser retirada de forma brusca, mas sim

gradualmente.

O bebê está elaborando tudo, portanto ele não pode ficar sujeito de momentos estressantes diariamente, assim como

não pode estar sujeito a uma convivência estressante (por exemplo quando pais brigam diariamente).

 

A chupeta é uma grande ferramente que possibilita a imposição de limites. Quando a mãe termina de dar o seio,

pode oferecer a chupeta, essa troca possibilita um caminho de retirada do seio depois de alguns meses,

permitindo que o bebê não sinta estresse nesse processo de transição.

Quando a mãe aplica esse processo corretamente, promove a imposição de limites, pois

estabelece ao bebê a hora da mamada, a duração dela, a transição para a chupeta e sua duração.

 

Se esse processo for feito corretamente, o bebê não irá chorar pedindo o seio toda hora, a mãe

se sentirá mais tranquila, oferecendo um alimento de mais qualidade, contribuindo para

o desenvolvimento do bebê e para a harmonia familiar.

amamentacao

 

Um “cheirinho” ou o objeto transicional

 

O paninho também contribui para toda essa fase do bebê, permite a ele estabelecer

relação com o objeto, fora da relação com a mãe.

Contribuindo para o reconhecimento do seu “eu”e sua personalidade.

Esse cheirinho não pode ser, por exemplo, o cabelo da mãe ou qualquer outra parte do corpo da mãe.

Deve ser um objeto macio, cheiroso e de fácil manuseio pelo bebê.

 

SUCESSO!